O Ser Urbano – exposição prolongada até 27 de Abril

 

Nuno Portas na ASA- foto de Carla Cristiana Carvalho

A Fábrica ASA acolheu desde 10 de Março a conferência A exposição “O Ser Urbano, nos Caminhos de Nuno Portas”, comissariada por Nuno Grande. Apesar de se prever o seu encerramento para este fim-de-semana, vai prolongar-se ainda até 27 de Maio. Quem não visitou tem uma semana de oportunidades para não perder este testemunho de um trabalho notável.  E mesmo para quem já visitou muito haverá ainda para assimilar!

Assim se fecha um ciclo que incluiu o debate “O Direito à Cidade: Políticas Urbanas do Portugal Democrático” , o lançamento do catálogo da exposição, e por fim o colóquio internacional “Da Cidade ao Urbano: Encontros com o ideário de Nuno Portas” que decorreu na passada sexta-feira, 18 de Maio, na Escola de Arquitectura da Universidade do Minho.

Ao longo dos últimos 3 meses a exposição permitiu percorrer o imenso trabalho de Nuno Portas, nas várias vertentes em que se decompõe, tal como se  pode observar pela forma como se expõe “o Ser Urbano”: um conjunto extenso de marcas do seu trabalho, da sua forma de pensar, dos seus estudos, expostos em camadas sobrepostas – onde os conceitos são perceptíveis na transparência, nessa mesma sobreposição, uns através dos outros, e em contra luz. Porque o processo de trabalho e de pensar não corresponde a um gesto linear, é feito dessa mesma profusão de ideias e de conceitos, amalgamados e fundidos, e percebidos uns na relação com os outros. A própria organização da exposição é inteligente, coerente  e muito interessante desse ponto de vista.

A última visita guiada, decorreu no dia 12 de Maio, foi feita pelo geógrafo Álvaro Domingues,  e teve no final a presença do próprio Nuno Portas  que partilhou memórias e o seu próprio modo de ver o seu trabalho e as questões inerentes, numa tertúlia que juntou algumas dezenas de pessoas.